Presidente defende ação integrada para implementação de metas da ONU

web_beraldo_4.png

26/10/17- SÃO PAULO-O presidente do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, Sidney Beraldo, afirmou, na noite de terça-feira, que a melhor forma de viabilizar a implantação dos chamados Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no país é estimular o trabalho integrado entre diferentes instituições.

“São metas bastante ambiciosas. Não será uma tarefa fácil e ninguém vai realizá-la sozinho. Neste momento de muita dificuldade, com crise econômica, social, política e ética, o ambiente não ajuda. Mas sou um otimista”, afirmou Beraldo durante inauguração, na Universidade de São Paulo (USP), do primeiro escritório na América Latina do Programa ‘Cidades do Pacto Global’ da Organização das Nações Unidas (ONU).

“Sabemos que, se não houver comprometimento, motivação dos prefeitos, das estruturas locais, isso acabará não acontecendo. Por isso já nos colocamos à disposição para trabalhar de maneira integrada”, declarou ainda, referindo-se às 17 metas estabelecidas pela ONU para o crescimento econômico com sustentabilidade social e ambiental. “Iniciativas como esta, com a participação integrada de diversos setores da sociedade, mostra que vamos superar tudo isso e fazer acontecer”, completou ele.

A Diretora do Programa Cidades do Pacto Global da ONU, Elizabeth Ryan, explicou os objetivos e metas que preveem um acordo humanitário entre empresas, organizações da sociedade civil e demais instituições para articular ações voltadas ao cumprimento dos 17 objetivos.

Os ODS, que devem ser implantados até 2030, incluem medidas para a promoção da governança democrática, preservação da natureza e erradicação da pobreza em todo o mundo.

Para isso, os 193 países signatários do documento se comprometem a criar políticas públicas que estimulem a prosperidade, levando em conta questões sociais e relacionadas à preservação do meio ambiente.

.Observatório do futuro

Durante o evento, o presidente também ressaltou a importância da parceria firmada entre o TCESP e o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) para o uso do IEG-M (Índice de Efetividade da Gestão Municipal) como uma das ferramentas oficiais da ONU para avaliar a evolução de implementação dos ODS no Brasil.

O indicador, criado pelo Tribunal em 2015, mede a eficiência das Prefeituras a partir da análise de quesitos em sete áreas da administração pública: saúde, educação, planejamento, gestão fiscal, proteção aos cidadãos, meio ambiente e tecnologia da informação. “Existe uma sinergia muito grande, uma complementariedade entre o IEGM e os ODS. Com a estrutura do Tribunal, que acompanha 644 municípios no Estado, podemos dar uma contribuição importante para essa agenda”, explicou Beraldo.

Em parceria com a ONU, o Tribunal de Contas também já anunciou a criação de um observatório para medir o avanço das cidades paulistas no planejamento e implementação dessas metas. O núcleo, batizado de Observatório do Futuro, fará diagnósticos permanentes sobre a evolução dos ODS em São Paulo e ainda desenvolverá capacitações para os municípios com pior desempenho na implantação dos objetivos estipulados pela ONU.

“É um grande desafio, um belo desafio. E, em um momento de tantas notícias ruins, isso nos motiva bastante. Vamos cuidar de uma agenda para melhorar o mundo”, disse o presidente.

Também participaram do evento o Reitor da USP, Marco Antonio Zago; a Assessora Especial para Assuntos Internacionais do Governo de São Paulo, Ana Paula Fava; o Secretário Executivo da Rede Brasil do Pacto Global da ONU, Carlo Pereira; o Presidente da Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo, José Goldemberg; e a Superintendente de Gestão Ambiental da USP, Patricia Iglecias.

Após a apresentação do projeto, foi descerrada uma placa inaugural. O escritório regional funcionará na Cidade Universitária.