Em Prudente, lideranças classificam trabalho do TCESP como ‘imprescindível’

web_pres_prude_0.png

06/10/17- PRESIDENTE PRUENTE- Reunidas, ontem, em Presidente Prudente, para o último encontro do Ciclo de Debates com Agentes Políticos e Dirigentes Municipais organizado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, lideranças da região afirmaram que o trabalho executado pelo TCESP é ‘imprescindivel’.

“Temos a certeza da imprescindibilidade do Tribunal para a eficácia administrativa do Estado”, declarou o Promotor de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo Mário Coimbra. “Aquele gestor que pensa nos cofres públicos como um oráculo em que só se deve mexer para despesas públicas, não deve temer o Tribunal.”

“A função que o TCESP exerce é fundamental para a reestruturação do país. Todos os elementos que eles nos apontaram (na Câmara) tinham procedência. Aprendi muito com eles”, completou o Presidente do Legislativo da cidade, vereador Enio Luiz Tenório Perrone.

Cerca de quinhentas pessoas das regiões de Prudente e Adamantina participaram do evento.Entre elas, 28 Prefeitos e 23 Presidentes de Câmaras. O encontro foi a última das onze etapas organizadas ao longo do ano para a discussão de temas de interesse municipal.

A abertura do Ciclo de Debates contou também com a presença do Presidente do TCE, Sidney Beraldo, do Procurador-Geral do Ministério Público de Contas (MPC), Rafael Neubern Demarchi Costa, do Secretário-Diretor Geral, Sérgio Ciquera Rossi, do Auditor Substituto de Conselheiro, Josué Romero, do Diretor do Departamento de Supervisão da Fiscalização II, Alexandre Teixeira Carsola, do Diretor do Departamento de Supervisão da Fiscalização I, Antonio Bento de Melo, dos Diretores das Unidades Regionais de Presidente Prudente (UR-5), Maurides Tedeschi, e de Adamantina (UR-18), Edson Hideo dos Santos, e do Prefeito de Presidente Prudente, Nelson Roberto Bugalho.

“Em um momento de dificuldades sem precedentes, estamos em uma situação complicada porque temos que atender às demandas da população.Por isso, o ciclo é de suma importância. Temos que discutir transparência, planejamento”, afirmou Bugalho.

O Presidente do Tribunal de Contas ressaltou a relevância da presença dos servidores e gestores ao debate. “Isso significa que todos temos o mesmo objetivo: fazer cada vez mais com menos, ser eficientes e atender às necessidades da população”, disse ele. “Vivemos mesmo um momento difícil, com queda de arrecadação e demanda por serviços. Mas, com os dados que temos dos municípios, vemos que dá pra melhorar. Por isso, encarem nossos apontamentos como uma contribuição para as administrações”, completou Beraldo.

Desde março, o Ciclo passou por onze cidades do litoral, interior e região metropolitana. De caráter preventivo e pedagógico, os encontros discutiram, entre outros temas, planejamento, controle interno, terceiro setor e transparência.

A iniciativa faz parte de uma política pedagógica desenvolvida pelo Tribunal. “Digo sempre que queremos ser cães-guia e não cães de caça. Nossa ideia é orientar para evitar irregularidades. Mas, se tivermos que caçar, vamos caçar”, declarou Sidney Beraldo.

Clique para acessar a galeria de fotos